FRETE FIXO de R$9,90 à partir de R$199 + 5% OFF pagando via PIX 10% OFF cupom PRIMEIRACOMPRA
0
Meu carrinho
Carrinho Vazio
FRETE FIXO de R$9,90 à partir de R$199
05/05/2022

CELULAR REDUZ EM 50% A PRODUÇÃO DE MELATONINA

Estudos científicos realizados em Harvard comprovam que apenas 13 minutos de exposição à luz azul, durante a noite, provoca uma redução de 50% na produção de melatonina (hormônio do sono). A luz azul é emitida por celulares, tablets, Tvs e luzes artificiais de baixo consumo (LED).

Com menos melatonina, as noites de sono perdem qualidade e a nossa saúde também.  De acordo com o Dr. Vitor Azzini, especialista em medicina personalizada, o sono é um dos pilares da saúde. “Poucas horas dormidas estão associadas a doenças cardíacas, depressão, diabetes tipo 2  e até ao câncer. É também um dos maiores fatores de risco para a obesidade”, explica ele.

O uso excessivo do celular à noite reduz para apenas 10% o tempo que deveríamos estar em sono profundo, conhecido como REM, afetando também a nossa aparência e o nosso humor. “É no estágio REM que acontecem os processos de regeneração do corpo, e isso inclui a pele e o cabelo”, ressalta Sônia Corazza, engenheira química e cosmetóloga.

 

CUIDE DO SEU SONO, DA SUA SAÚDE E DO SEU HUMOR

Veja o que os especialistas recomendam para manter a taxa de melotonina alta e a noite de sono que você precisa.

Enquanto ainda está acordado(a):

– Evite o uso de dispositivos eletrônicos por duas a três horas antes de dormir;

– Use lâmpadas vermelhas no seu abajur de leitura;

– Caso seja imprescindível o uso de celular, utilize filtros para redução da luz azul (existem aplicativos para isso) ou use óculos de lentes laranjas, que neutralizam a luz azul;

Quando decidir dormir:

– Apague todas as luzes até o quarto ficar completamente escuro;

– Se precisar, use máscaras ou um pano nos olhos;

“Fica a dica a todos que procuram melhorar a própria saúde com estes artifícios, pois dificilmente haverá trabalhos científicos comparando uma terapia farmacológica, com outra não farmacológica. Isso porque os laboratórios farmacêuticos são os principais financiadores dos estudos científicos em universidades e, evidentemente, não haverá lucro algum ao se provar cientificamente que, bloquear a luz azul de forma não medicamentosa é muito mais saudável do que com uso de drogas psicotrópicas”, alerta Vitor Azzini.

#VaiLáeBlu